10 de novembro de 2013

Acolhimento e natalidade

 

image

Integrada na missa dominical, decorreu ontem na paróquia de Guisande a Festa do Acolhimento que se traduz na recepção e apresentação à comunidade das crianças que vão iniciar o seu percurso na catequese. Foram apresentadas, disseram os seus nomes, rezaram, cantarem, tiveram direito a palmas e receberam um diploma.

Não são muitas as crianças que tiveram este momento especial, apenas 6, sendo 3 rapazes e 3 raparigas, mas os tempos são de crise e a velha sentença bíblica do “crescei e multiplicai-vos” está igualmente pelos caminhos da amargura.

Este número 6 será para ser reduzido nos anos que aí vêm  pois não há perspectivas de que a tendência de queda no número de nascimentos no nosso país, e naturalmente na nossa comunidade, venha a ser invertida. Não foi quando as condições económicas do país e das famílias eram substancialmente melhores pelo que não será agora neste contexto de forte austeridade e desemprego. Assim, somos cada vez mais um país de velhos. Para amenizar a realidade de se chamar os bois pelos nomes, inventaram a designação de séniores.

 

[sobre as taxas de natalidade]