27 de novembro de 2016

Adeus, Manuel Azevedo




Soubemos há pouco que o Manel Azevedo partiu em viagem sem regresso para uma expedição ao Céu onde vai fazer uma longa reportagem de fotografia, com o infinito e mais além como horizonte. Deixou cá o seu material e equipamento fotográfico mas levou os olhos e com eles os olhares que vai continuar a captar. Já não, certamente, as folhas amarelecidas dos plátanos do seu Parque das Termas, as bucólicas margens do Uíma, ou mesmo os lances de um qualquer jogo de futebol, mas quiçá os vales verdejantes ou as torrentes do Éden.
O Manel é conhecido de longa data e, com a companheira Cidália, fez a reportagem de fotografia e vídeo do meu casamento. Já lá vão quase trinta anitos. Foi um amigo e colaborador do jornal "O Mês de Guisande" e da Associação Cultural da Juventude de Guisande e mais tarde da Associação "O Despertar".
Vi-o pela última vez,, curiosamente, aqui na minha terra, em Guisande, fotografando o artista Flak no coreto do Monte do Viso. Tenho, pois, na memória aquele que para mim foi o seu último flash.
Por tudo, pela amizade e partilha, um até sempre Manel. Sempre que fotografar, vou pensar em ti e na arte que amaste.

Paz à tua alma! Connosco fica a tua memória, não só na tua terra, Caldas de S. Jorge, como também aqui em Guisande.

Américo Almeida


Comente com o Facebook: