9 de novembro de 2016

Pedro 28 Dias

Afinal mobilizou-se um mini exército para andar atrás de um tipo que apenas diz ter roubado meio frango e ter lavado dinheiro sujo (quando com 60 euros atravessou a nado o rio Douro). Com a editora certa, pode escrever e vender com sucesso o livro "Como viver durante um mês com apenas 60 euros e manter o bom aspecto". A Sandra Felgueiras bem lhe pode fazer o prefácio.
É apenas uma opinião, mas não apreciei de todo o facto da RTP e Fátima Felgueiras terem-se prestado à montagem de um cenário digno da CM TV. Compreende-se a sorte de ter sido escolhida e chamada a Arouca, mesmo que diga que foi um furo jornalístico ( o tanas) mas não gostei e certamente muitos portugueses. Afinal na hora de esgrimir importância e exclusivos, a RTP não é diferente da CM TV e a entrevista, agora gerida ao sabor dos interesses da programação, deu-nos a conhecer um homem santo e inocente a toda a prova. Oxalá, para bem dele próprio e da família, que esteja inocente e disso consiga fazer prova, mas ou temos estado a ver filmes da Disney ou então estamos mesmo bem enganados.

Os filmes dizem-nos que nem sempre o que parece é, mas ou temos andado a ser enganados quanto às evidências do que se passou, ou então o Pedro Dias, ilustre arouquense, ainda vai ser candidato a Nobel da Paz, ou mesmo da Literatura, pois até contou uma melhor história do que alguma vez nos contou o Bob Dylan.
Mas vamos esperar que a Justiça se cumpra e até lá, o Dias é apenas um suspeito. Nada mais.
Com toda esta história e desfecho, a GNR reforçou nos portugueses a ideia de que é bem mais eficaz a aplicar multas. Bem que poderia mudar o nome para Guarda Nacional Rodoviária.

- A. Almeida

Comente com o Facebook: