9 de fevereiro de 2017

Santa Casa da Discórdia

Ao Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia, por leis, regras e regulamentos tudo se permite. Até a suspensão das apostas no seu mais recente jogo o "Placard" referente ao evento de futebol da nossa I Liga, entre o Feirense e o Rio Ave (resultado: 2-1). Supostamente por ter detectado um valor atípico de apostas, falando-se em cerca de meio milhão de euros, 100 mil só de um cidadão chinês.
 
Acontece que esta suspensão, embora prevista nos tais regulamentos protectores da nossa santidade da jogatana, implica uma suspeição que penaliza ambas as equipas participantes, o Feirense e o Rio Ave, seus atletas e dirigentes. Tal ocorrência estará a ser investigada pela Judiciária. Mas cheira-me, no entanto, que se essa investigação não der em nada e assim as equipas e seus jogadores ficarem ilibados, a Santa Casa certamente lavará as mãos e nem um chavo pagará por suspeições graves infundadas. Deveria, obviamente ser responsabilizada pelos clubes por ter posto em causa o seu bom nome e imagem, mesmo que indirectamente e ao abrigo de regulamentos. Mas, pelo que se tem visto até aqui, também parece que os clubes não vão fazer grande alarido porque certamente também recebem a sua quota leiteira da mama da Santa Casa.
 
Veremos se será assim, mas o mais natural é que tudo isto não dê em nada e não dará em nada porque simplesmente a Santa Casa suspendeu as apostas não por fundadas suspeições de fraude e corrupção por parte das equipas e alguns dos seus jogadores mas tão somente para não ter prejuízo, De resto a promotora do "Placard" terá admitido que a decisão de suspensão das apostas referentes ao jogo referido residiu essencialmente no elevado risco financeiro face ao atípico volume de apostas. Ou seja, sempre que haja riscos de elevados prejuízos, suspende as apostas como se um jogo não fosse precisamente isso, risco de perder e possibilidade de ganhar.

Afinal o Departamento de Jogos da Santa Casa existe para ter enormes lucros e não para correr riscos nem prejuízos. Estes ficam sempre por conta dos apostadores.
Vamos aguardar e ver no que dá este caso, mas aposto que não vai dar em nada. Quase que seria capaz de apostar 100 mil como o tal chinês.


Comente com o Facebook: