20 de junho de 2024

Nota de falecimento





Faleceu António da Conceição e Santos, natural de Casaldaça - Guisande, que vivia de há anos em S. Roque - Oliveira de Azeméis. Nasceu a 16 de Janeiro de 1944. Tinha 80 anos.

Filho de Elísio dos Santos e Maria Amélia da Conceição. Neto paterno de avô incógnito e de Maria Rosa dos Santos. Neto materno de Francisco Pereira dos Santos e de Bernardina Joaquina da Conceição.

Sentidos sentimentos a todos os familiares, à esposa, filhos e netos, e de modo particular aos seus irmãos e sobrinhos aqui na freguesia de Guisande.

Paz à sua alma! Que descanse em paz!


18 de junho de 2024

Nota de falecimento

 


Faleceu Rodrigo de Oliveira Mota, natural de Fornos - Guisande, e que vivia de há anos em Duas Igrejas - Romariz.

Sentidos sentimentos a todos os familiares, de modo particular a sua esposa e filhos e ainda aos irmãos que deixa por cá, como o Fernando e o Marinho.

Nasceu em 5 de Março de 1940. Era filho de Jerónimo Alves da Mota e de Felismina Rosa de Oliveira.

Era neto paterno de Jerónimo Alves da Mota e de Rita Henriques da Silva e materno de Rufino Pinto Leal e de Maria Rosa de Oliveira.

Paz à sua alma!



13 de junho de 2024

Postal do Dia - Os Ministros Extraordinários da Comunhão


Creio que quem vai frequentando os serviços litúrgicos e pastorais da nossa paróquia sabe o que são os Ministros Extraordinários da Comunhão, abreviados por MEC´s. Não serão necessárias grandes explicações.

Na nossa paróquia temos cinco ministros: o António Conceição, o José Almeida, a Fernanda Eva Silva, a Lurdes Lopes e a Cisaltina Coelho, embora esta, por dificuldades de saúde, não tem estado a exercer. Foi também, de forma dedicada, o Alberto Gomes de Almeida, mas já partiu há uns anos (Outubro de 2012).

Muitos, de forma ligeira e pouco dados a ver para além do óbvio, pensarão que é serviço ou função de pouca importância, mas na realidade é mais do que isso. Desde logo porque como qualquer serviço à igreja, implica comprometimento e dedicação e com isso, tantas vezes, incómodos para o dia-a-dia das nossas coisas. Por isso é que são poucos os que se aventuram a assumir serviços na comunidade. Nada se ganha de visível, passa-se por se ganhar, e à perda de tempo soma-se, não raras vezes, fama indesejada sem proveito.

Os nossos Ministros da Comunhão, para além do que é mais visível e notório, o ajudar o pároco a distribuir a sagrada comunhão durante as missas ou a orientar a reza do Terço, têm sobretudo um papel e missão importantes que é a da visita domiciliária aos doentes, pessoas em idade avançada e em situação de fragilidade e de mobilidade e que assim aos Domingos têm a oportunidade de manter essa ligação de fé e comunhão eucarística. E resulta deste acto, também uma função social, afectiva e caritativa já que há sempre tempo e lugar para uma pequena conversa de ânimo e que tão bem faz a quem durante a semana está preso na sua própria casa ou remetido à cama. Só quem passa por elas é que valoriza estas situações.

Por conseguinte, no que diz respeito à apreciação e entendimento que possamos ter em relação às pessoas que noutras ou na nossa comunidade asseguram este serviço, devemos ter em conta a sua importância e dentro do possível saber prestar esse reconhecimento ou pelo menos não o menosprezar.

[foto: voz portucalense]

12 de junho de 2024

8 de junho de 2024

Visita Pastoral Interparoquial - Programa - Cartaz

 


Página online da comunidade interparoquial

 


Está activa a página online da comunidade interparoquial de Caldas de S. Jorge, Guisande e Pigeiros. 
É um projecto simples, despretensioso, numa plataforma gratuita, por isso sem quaisquer custos, mas pretende-se que, de forma eficaz, dentro do espírito sinodal que vivemos na Igreja,  seja um elemento de divulgação e partilha dos diferentes eventos e momentos que vão acontecendo nas dinâmicas litúrgica e pastoral das respectivas comunidades.
Agradece-se a partilha e naturalmente o acompanhamento regular até porque dela farão parte os habituais avisos dominicais. 
Está também publicado o cartaz do programa da Visita Pastoral Interparoquial que acontecerá na última semana deste mês de Junho.

7 de junho de 2024

Postal do Dia - O azulejo


Creio que nisto todos estaremos de acordo: Quando fazemos algo, de forma despretenciosa, a favor da nossa freguesia e comunidade, sem qualquer proveito que não o do simples prazer e gosto, é sempre bom ter do lado de quem recebe, algum eco dessa dedicação e que funciona assim como reconhecimento e incentivo.

Ora no contexto desta página que exige muita dedicação, mesmo algum custo monetário e muito tempo dispendido, frequentemente recebo esse reconheceimento, sobretudo de malta que está na condição de emigrante, em França e Suiça, e que quando regressam, sempre que me encontram, disso dão conta, de que seguem atentamente as novidades da freguesia por esta página.

Mesmo por aqui, sei que há visitantes frequentes e diários e que sempre que notam uma pausa nas publicações procuram saber pessoalmente o que é que se passa, pois habituados que estão não dispensam as "novidades" ou novos apontamentos sobre as coisas da nossa freguesia, do seu presente e do passado.

Assim foi, e um dia destes parou à porta da casa um desses visitantes frequentes, a dar conta de que já não publicava nada desde o dia 23 de Maio. 

Fiquei, pois, reconhecido por esse interesse e amizade e por ele e por todos os outros que diariamente ajudam a que esta minha/nossa página tenha médias de 500 a 1000 visitas diárias, uma boa parte da comunidade emigrante.

Obrigado a todos quantos valorizam este trabalho e o incentivam desta forma tão próxima, mesmo que nem sempre de forma assim reconhecida de modo tão pessoal e directo. Obrigado ao L.A.

E agora perguntarão pelo nexo da escrita com a fotografia e o título do artigo? 

Pois bem, considerando a quantidade de visitantes desta página, como analogia, cada um será um dos muitos azulejos que desde 1969 revestem a fachada principal da nossa bonita capela do Viso, dedicada à Senhora da Boa Fortuna e Santo António. Apesar de muitos, todos ali organizadinhos, a apanharem com o sol da tarde, há ali um azulejo em falta, e ele pode corresponder a um visitante da página que teve a amabalidade de me contactar pessoalmente para saber se havia algum problema comigo a ponto de nada publicar há quase três semanas. No fundo, muitas vezes basta um no todo para se fazer notar a diferença. É preciso é olhar com olhos de ver e perceber, como em tudo na vida, que o muito é feito de pouco.