Mostrar mensagens com a etiqueta Religião. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Religião. Mostrar todas as mensagens

15 de fevereiro de 2024

Quaresma - Caminho de introspecção

A Quaresma, um período, um caminho de quarenta dias, é o tempo que na liturgia católica antecede a celebração da Páscoa, oferecendo uma rica reflexão teológica e filosófica. Associada à penitência, reflexão e preparação para a celebração da ressurreição de Cristo, ela convida os fiéis a uma renovação da sua fé, à purificação espiritual individual para uma renovação do compromisso com os valores do Evangelho.

Filosoficamente, a Quaresma é um convite à introspecção e autoconhecimento, convidando-nos a examinar as nossas vidas, escolhas, relacionamentos e prioridades. Ela lembra-nos da natureza efêmera e transitória da vida humana, convidando-nos a viver de acordo com nossos valores mais profundos e procura de uma vida de significado e propósito.

Ao mesmo tempo, a Quaresma oferece esperança e promessa de renovação. Assim como a Primavera segue o Inverno, a Páscoa segue a Quaresma, simbolizando a vitória da vida sobre a morte, da luz sobre as trevas. É uma mensagem poderosa de que, mesmo nos momentos mais sombrios de nossas vidas, há sempre a possibilidade de renascimento, transformação e ressurreição.

7 de dezembro de 2023

Natal sempre, mas do verdadeiro

 


Entrados em Dezembro e com o início do Tempo do Advento, como caminho de preparação para o dia grande e renovado do Natal, em que Jesus renasce como modelo de um caminho novo, já estamos em contagem decrescente. Ao Natal mercantilista e mesmo desprezado nos seus valores constituintes, como se fora apenas um banal entretenimento e comércio, há que responder com a preservação dos bons velhos e sempre actuais valores do Evangelho.

A imagem acima é da coroa do Advento feita cá por casa. Simples e com os elementos vegetais tão tradicionais, incluindo o azevinho e outras bagas cá do próprio jardim.

17 de agosto de 2023

Dia do padroeiro - S. Mamede

 


Hoje, Quinta-Feira, 17 de Agosto, é dia de S. Mamede, padroeiro de muitas paróquias portuguesas (65), incluindo a nossa de Guisande. 

Por cá, a evocação do santo e da data, será feita com a celebração de uma missa pelas 20:30 horas, seguindo-se a procissão ao redor do adro e da alameda frontal à igreja matriz.

Tempos houve em que era dado maior destaque à festividade deste nosso antigo padroeiro, mas desde há muitos anos que a evocação é feita de modo muito simples, sem grande alarde, porventura mais a gosto do santo. 

O facto da data ser a meio de um mês tradicionalmente de férias, também não ajuda a grande participação. Mas mais do que isso importa ter S. Mamede como nosso guia e protector e daí, certamente, receptivo a intermediar as nossas orações.

Oração a S. Mamede:

Virtuoso São Mamede, santo protector e intercessor, neste momento, dirijo-me a ti com humildade e esperança em meu coração. Tu que és conhecido por tua força e coragem em tempos difíceis, peço que me acompanhes em minha jornada.

Que a tua luz ilumine meus caminhos, guiando-me nas decisões e escolhas que devo fazer. Concede-me a serenidade para enfrentar os desafios da vida e a sabedoria para compreender os desígnios divinos.

Inspira-me, São Mamede, a seguir teus passos de fé e devoção, buscando sempre a verdade e a rectidão em todas as minhas ações. Em momentos de aflição, que eu sinta a tua presença acalmando meu coração e renovando minha confiança.

Peço a tua intercessão junto a Deus, para que minhas preces sejam ouvidas e atendidas de acordo com a Sua vontade. Conforta-me nas horas de tristeza, fortalece-me nos momentos de fraqueza e concede-me a graça da paz interior.

Amém!

2 de julho de 2023

LIAM Guisande - Peregrinação da Familia Espiritana 2023



O núcleo da LIAM Guisande encontra-se  neste fim-de-semana, 1 e 2 de Julho de 2023, a participar na  tradicional  Peregrinação a Fátima da Família Espiritana, a qual decorre sobre o lema “A nossa missão é a dEle”

Programa:

Sábado, 1 de julho

17:30 Saudação a Nossa Senhora, na Capelinha das Aparições

18:15 Missa, na Basília da Santíssima Trindade

21:30 Rosário e Procissão de Velas, no Recinto

23:00 Vigília de Oração, na Basílica de N. Sra. do Rosário

Domingo, 2 de julho

07:00 Via-Sacra, nos Valinhos

10:00 Rosário, na Capelinha das Aparições

11:00 Missa, no Recinto

15:00 Sessão Missionária, no Centro Paulo VI

8 de abril de 2023

Via Sacra - Grupo de Jovens

 


Na Sexta-Feira Santa, 7 de Abril, o Grupo de Jovens de Guisande encenou a Via Sacra que decorreu na alameda frontal à igreja matriz. Parabéns pelo trabalho!

7 de abril de 2023

Santa Sexta

 


A Sexta-feira Santa é um dia de profunda reflexão e significado para muitas pessoas em todo o mundo. É um dia em que se celebra a morte de Jesus Cristo,  figura central da fé cristã.

Para muitos cristãos, a Sexta-feira Santa é um dia de luto e tristeza, pois é quando lembramos a morte de Jesus na cruz. É um momento para refletir sobre o sacrifício que ele fez por nós e sobre o significado da sua morte.

No entanto, a Sexta-feira Santa também é um dia de esperança. A morte de Jesus na cruz não foi o fim da sua história, mas sim o começo de uma nova era. A sua morte e ressurreição são vistos como um símbolo de renovação e vida nova, oferecendo a possibilidade de redenção e salvação para todos.

A Sexta-feira Santa é, portanto, um dia de reflexão profunda sobre a vida e a morte, a fé e a esperança. É um dia para pensar sobre nossas próprias vidas e nossas próprias escolhas, e sobre como podemos viver com mais amor, compaixão e generosidade em relação aos outros.

Independentemente das nossas crenças pessoais, a Sexta-feira Santa é um dia que pode lembrar-nos da importância da empatia, do perdão e da reconciliação em nossas vidas, e pode inspirar-nos a procurar esses valores nos nossos relacionamentos e na nossa comunidade.

27 de março de 2023

A ressureição de Lázaro - Uma reflexão com três caminhos


Na liturgia do 5.º Domingo da Quaresma, que antecede o Domingo de Ramos, no Envangelho de S. João foi narrada a resssurreição de Lázaro, amigo de Jesus e irmão de Maria e Marta, na cidade de Betânia, próxima a Jerusalém, a cerca de 3 Km do lado nascente. (Na foto acima, o suposto local da entrada do túmulo de Lázaro).

Numa reflexão  poética, filosófica e teológica sobre o evangelho da ressureição de Lázaro, podemos considerar que o Evangelho da ressurreição de Lázaro, presente no livro de João, é um relato poderoso e cheio de simbolismo que nos convida a refletir sobre diversos aspectos da vida e da morte. De forma poética, filosófica e teológica, podemos explorar alguns desses temas.

Do ponto de vista poético, o relato da ressurreição de Lázaro nos apresenta imagens vívidas e cheias de emoção. Desde a dor e o sofrimento de Maria e Marta, que choram a morte do irmão, até a cena em que Jesus, após ter chorado junto com as irmãs, pede que removam a pedra do túmulo, a narrativa é permeada por uma forte carga emocional. A ressurreição de Lázaro, por sua vez, é descrita de maneira impressionante, com Jesus ordenando que o morto saia do túmulo, e Lázaro obedecendo.

Do ponto de vista filosófico, o relato da ressurreição de Lázaro pode ser interpretado como uma reflexão sobre a natureza da vida e da morte. A morte é uma parte inevitável da vida, e a ressurreição de Lázaro nos mostra que mesmo quando parece que a morte é definitiva, existe uma possibilidade de vida além dela. Essa reflexão pode nos levar a pensar sobre a importância de viver plenamente o presente, já que não sabemos quando a morte virá, e sobre a necessidade de aceitar a morte como uma parte natural do ciclo da vida.

Do ponto de vista teológico, o relato da ressurreição de Lázaro é uma demonstração do poder de Deus e da capacidade de Jesus de realizar milagres. A ressurreição de Lázaro é um sinal da presença divina na vida das pessoas e da possibilidade de salvação mesmo em situações extremas. Essa reflexão pode nos levar a pensar sobre a importância da fé e da crença em Deus, e sobre a esperança de uma vida eterna após a morte.

Em suma, o Evangelho da ressurreição de Lázaro nos convida a refletir sobre temas profundos e fundamentais, como a vida, a morte, a fé e a esperança. De forma poética, filosófica e teológica, podemos encontrar inspiração e significado nesse relato, que tem ressonância em todas as épocas e culturas.

12 de fevereiro de 2023

O sermão da montanha sempre actual

Neste 6º Domingo do Tempo Comum - Ano A, o Evangelho remete-nos para o Sermão da Montanha, feito por Jesus à multidão que o seguia. Esta parte é uma das passagens mais importantes do Novo Testamento, registada em 3 dos 4  evangelhos (deMateus, Marcos e Lucas). Nele, Jesus apresenta seu ensinamento moral e espiritual a uma multidão de pessoas que o seguiam.

Do ponto de vista teológico, o Sermão da Montanha é considerado uma das mais claras expressões da ética cristã e do reino de Deus anunciado por Jesus. Nele, Jesus apresenta aos seus seguidores a importância da paz, da justiça, da misericórdia, da fé e do amor ao próximo. Além disso, o Sermão da Montanha também apresenta o conceito de perdão, o papel da oração e a importância de viver de acordo com a vontade de Deus.

Do ponto de vista geral, o Sermão da Montanha é considerado uma das mais importantes passagens da literatura mundial. Ele tem sido estudado e debatido por filósofos, teólogos e pensadores ao longo dos séculos e continua a ser uma fonte de inspiração e orientação para muitas pessoas de todo o mundo.

Em resumo, o Sermão da Montanha é uma das mais ricas e significativas expressões do ensinamento de Jesus e uma fonte importante de orientação moral e espiritual para o cristianismo e para a humanidade em geral.

15 de janeiro de 2023

Oração à Sagrada Família


Sagrada Família, Jesus, Maria e José, que simbolicamente neste simples oratório nos visitas, dignai-vos abençoar o nosso lar e todas as pessoas da família que nele habitam e que por vosso poder e auxílio possamos ser merecedores de bençãos de saúde, paz e prosperidade. 

Sede para nós modelo permanente de harmonia e humildade para que possamos ser dignos da vossa presença.

Sagrada Família, Jesus, Maria e José, abençoai-nos e protegei-nos, hoje e sempre, amém!


Ainda outra oração:


Sagrada Família de Nazaré,

que em vós se formou o modelo perfeito

de vida familiar e de amor,

ensinai-nos a valorizar a família

como o lugar sagrado de convivência,

de crescimento e de aprendizagem.


São José, esposo fiel e protetor da Virgem Maria,

ensinai-nos a sermos justos e prudentes,

a confiarmos em Deus e a cuidarmos daqueles

que Ele nos confiou.


Virgem Maria, Mãe amorosa e cheia de graça,

ensinai-nos a sermos humildes e disponíveis,

a dizer "sim" ao plano de Deus em nossas vidas,

e a sermos compassivos com os nossos irmãos.


Jesus Cristo, Filho de Deus e Salvador do mundo,

ensinai-nos a amar-nos uns aos outros como irmãos,

a perdoarmos as ofensas e a praticarmos a caridade,

a exemplo da Sagrada Família de Nazaré.


Sagrada Família de Nazaré,

rogai por nós e protegei as nossas famílias,

para que sejam sempre lugares de amor,

de paz e de alegria, em conformidade com a vontade de Deus.

Amém.


Outra ainda, do Papa Francisco, (Amoris Laetitia, 325)


Jesus, Maria e José, em Vós contemplamos o esplendor do verdadeiro amor, confiantes, a Vós nos consagramos.

Sagrada Família de Nazaré, tornai também as nossas famílias, lugares de comunhão e cenáculos de oração, autênticas escolas do Evangelho e pequenas igrejas domésticas.

Sagrada Família de Nazaré, que nunca mais haja nas famílias episódios de violência, de fechamento e divisão; e quem tiver sido ferido ou escandalizado seja rapidamente consolado e curado.

Sagrada Família de Nazaré, fazei que todos nos tornemos conscientes do carácter sagrado e inviolável da família, da sua beleza no projecto de Deus.

Jesus, Maria e José, ouvi-nos e acolhei a nossa súplica.

Ámen.

Mártir S. Sebastião

Hoje, dia 15 de Janeiro, celebrou-se na nossa paróquia a solenidade do mártir S. Sebastião, que acontece pelo 105.º ano. 

Pelas 08:00 horas fez-se a concentração na capela do Viso, seguindo-se a vinda para a igreja em procissão, com os andores do mártir e de Nossa Senhora das Dores, onde teve lugar a celebração da missa dominical.

29 de setembro de 2022

Irmã Alzira Santos

A irmã religiosa Alzira Santos, deu a cara no página online da Agência Ecclesia, onde fala na primeira pessoa sobre a sua experiência enquanto responsável pelo refeitório social em Lisboa da  Congregação Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, onde se integra. 

Lamenta a falta de dignidade das pessoas pobres, na sociedade contemporânea. Entre outras considerações que ali podem ser lidas, diz que, “Já assisti a funerais de pessoas e pensei que há animais que têm mais dignidade. Acompanha-se um funeral e, já nem digo uma Missa, mas não se vê sentimentos da família. Fico a pensar como é que é possível, em 2022, onde se diz que o mundo está tão desenvolvido, encontrarmos situações muito difíceis”.

Alzira Santos é uma figura que nos prestigia. O artigo merece leitura atenta porque reflecte a visão de quem na primeira pessoa lida com o lado da pobreza e da doença.

12 de setembro de 2022

Pe. Alexandre Moreira - Pároco de Sandim, Lobão e Vila Maior

 


Tomou já posse das paróquias de Santa Maria de Sandim, S. Tiago de Lobão e S. Mamede de Vila Maior, o jovem Pe. Alexandre Manuel Teixeira Moreira, que havia sido nomeado pelo Bispo do Porto.

O novo pároco  tem 26 anos e é natural da freguesia de Cabeça Santa, município de Penafiel. Estudou no Seminário Maior da Diocese do Porto. Foi ordenado em 10 de Julho deste ano de 2022.

A sua missão não é fácil pois são três paróquias, duas delas bastante populosas, mas certamente que a sua juventude o ajudará a levar a bom porto as suas funções.

Votos de bom trabalho pastoral e que as respectivas comunidades saibam ser merecedoras do privilégio de receberem um jovem sacerdote. Por sua vez que o padre saiba compreender as necessidades das paróquias, no respeito e valorização das suas melhores tradições e práticas, e que saiba ser pastor interessado a reunir as ovelhas e não factor de as dispersar. Que o Senhor o ajude!

À pergunta do serviço de média da Diocese, do que é para si ser padre na actualidade, o jovem sacerdote respondeu:

Servir a Igreja no ministério ordenado, nos dias correntes, passará por ser testemunho fiel e oblativo de um amor que se faz tudo para todos, de um amor que brota de um enamoramento primeiro e de um crescimento fecundo que encontra em Cristo Jesus a sua verdadeira e absoluta expressão. A alegria de ser padre manifestar-se-á seguramente por viver a vida com o olhar atento aos sinais dos tempos, sempre numa dinâmica de discernimento pessoal e comunitário e, a partir daí, em ter a ousadia de ser farol e guia, ministro e profeta, pastor e servo de comunhão. Sinodalmente, a vivência presbiteral pautar-se-á mais pela escuta que pela palavra, mais pelo discernimento que pela ação, mais pelo ser e estar que pelo parecer e ter. Na celebração da fé cristã, caberá ao padre, na pessoa de Cristo, ser sacramento e fermento de unidade do povo de Deus. Nesta Igreja a que pertencemos, em que esperamos e à qual amamos, o padre sente-se sempre chamado a ser um fiel discípulo de Cristo que fala coração ao coração. Dar de graça o que de graça se recebe será sempre o ponto primeiro para viver a vocação ministerial ordenada de uma forma plena, sincera, fiel. Na feliz fidelidade a Cristo, o padre será a certeza de que Deus, por Cristo, habita o coração, a vida, cada um de nós.

[foto: averdade.com]

28 de julho de 2021

Semana da Festa do Viso


A Festa do Viso, em Honra de Nossa Senhora da Boa Fortuna e Santo António, não fosse este estado de pandemia que prevalece, teria lugar já neste próximo fim-de-semana. Assim, pelo segundo ano consecutivo, não há festa na aldeia, o que a todos entristece.

Espera-se, contudo, para além da missa que será celebrada na Capela, a ter lugar pelas 10:00 horas de Domingo, que a data seja evocada e vivenciada pelo menos em contexto familiar, esperançados que no próximo ano já seja possível a realização plena da festa.

5 de julho de 2021

LIAM em Fátima








O Grupo da LIAM de S. Mamede de Guisande participou neste fim de semana, 3 e 4 de Julho, na 41ª Peregrinação Nacional da Família Espiritana que decorreu no Santuário de Fátima.

Cerca de meia centena de pessoas participou nas cerimónias que constavam do programa, nomeadamente na Via Sacra,  Acolhimento e Saudação, Rosário e Procissão de Velas, Vigília e na Missa de Domingo, presidida pelo Bispo da Diocese do Porto, D. Manuel Linda. 

O grupo ficou alojado no Hotel Católica, bem perto do Santuário e no regresso fez uma breve visita ao centro histórico de Coimbra e ainda paragem na Mealhada para o jantar.

Tudo decorreu em conformidade dentro do espírito habitual de fé, oração, partilha e convívio.

Parabéns à organização!

29 de junho de 2021

Grupo da LIAM na 41ª Peregrinação Nacional da Familia Espiritana

 


O Grupo da LIAM de Guisande, como é de tradição, vai participar na Peregrinação Nacional da Família Espiritana, na sua 41ª edição, que decorre no próximo Sábado e Domingo, 3 e 4 de Julho. Em sintonia com o próximo Capítulo Geral dos Espiritanos, entretanto adiado, o lema da peregrinação será: “Vejam, vou fazer algo novo” (Is. 42,19).

Programa oficial: 

Sábado, 3 de Julho:

17:45 Saudação a Nossa Senhora, na Capelinha das Aparições

18:30 Encontro Missionário, no Centro Paulo VI (Sala do Bom Pastor)

21:30 Rosário e Procissão de Velas, na Capelinha das Aparições e recinto

23:00 Vigília Missionária com Celebração Eucarística, na Basílica da Santíssima Trindade (ou Capela Morte de Jesus)

Domingo, 4 de Julho:

07:00 Via Sacra nos Valinhos

10:00 Rosário

11:00 Missa no recinto, presidida por D. Manuel Linda

16 de setembro de 2019

S. Cipriano


Neste dia 16 de Setembro, é venerado S. Cipriano.

Os dados biográficos disponíveis em algumas fontes, dizem que Táscio Cecílio Cipriano nasceu no século III, em Cartago, no norte de África (em território da actual Tunísia), descendente de uma família nobre e rica. Pela sua formação, cultura, posição social e intervenção na acção da então jovem igreja cristã, e seus escritos teológicos, é tido como uma das personalidades mais importantes do século III.

Cipriano terá deixado a vida pagã e a profissão de advocacia por volta dos 35 anos, passando a envolver-se nos movimentos cristãos que na altura se propagavam pelo império romano.  Como era então uma figura muito popular, a sua conversão gerou um grande impacto na população. Desprendeu-se da sua riqueza e posição social em Cartago e distribuiu a fortuna pelos pobres.

De pagão a um sacerdote respeitado e seguido foi um passo e em 249 foi nomeado bispo de Cartago. Cipriano de Cartago, como viria a ficar conhecido, foi um famoso mestre da retórica e as suas inspiradas cartas (dizem que por intervenção divina) depressa se transformaram em fonte de fé e mesmo de culto.

Na época o cristianismo que começava a implantar-se era ferozmente perseguido e castigado pelo que também Cipriano, como aconteceu a muitos outras figuras daqueles tempos, acabou por ser perseguido e preso por ordem do imperador romano Décio. Depois de torturado e sem negação da sua forte fé, terá sido executado a 14 de Setembro do ano de 258. Os documentos que narram o seu martírio registam como as suas únicas palavras proferidas "Graças a Deus!".

Cipriano ficou conhecido e popularizado pela sua fidelidade à Igreja e por seus textos teológicos onde defendeu com firmeza o bom comportamento dos fiéis. A Igreja foi um dos seus temas preferidos. Distinguia a Igreja visível, hierárquica da Igreja invisível, mística, afirmando com convicção que a Igreja é uma só, a fundada sobre Pedro. Repetia que “quem abandona a cátedra de Pedro, sobre a qual está fundada a Igreja, fica na ilusão de permanecer na Igreja”

Frequentemente tem sido confundido com S. Cipriano de Antioquia, a quem a história relacionou com o ocultismo,  exorcismo, práticas de bruxaria e feitiçaria antes da sua conversão e mudança num caminho de fé e santidade. Dizem mesmo que ao homólogo de Antioquia é atribuída a autoria de um livro negro de bruxedos e feitiços a que a superstição e ignorância de uns e oportunismo de outros têm contribuído para a sua disseminação.
Na realidade existem várias versões de um livro conhecido pelo "Livro de S. Cipriano) mas trata-se de um grimório, ou seja, uma coletânea de meros rituais e supostos encantamentos mágicos, que, segundo diversas lendas nunca confirmadas documentalmente teriam supostamente sido  escritos por Cipriano de Antioquia antes da sua conversão ao cristianismo. De resto, as referências a esse livro só surgem apenas no século XIX, por isso centenas de anos depois da da data atribuída à morte de Cipriano de Antioquia, que também viveu no século III.

Entre nós, S. Cipriano de Cartago é padroeiro de muitas paróquias, nomeadamente na freguesia de Paços de Brandão - Santa Maria da Feira, sendo igualmente padroeiro no lugar de Parada, da freguesia vizinha de Louredo (a que se refere a imagem acima). Mas, sem confusões, porque já basta a do "Ferreira" ou "Ferrer", o patrono de Louredo é S. Vicente Mártir

18 de agosto de 2019

Isaac, o patriarca das farturas







A Festa em Honra de Nossa Senhora da Piedade em Canedo, é seguramente uma das maiores festas de arraial do concelho de Santa Maria da Feira, mesmo até entre os concelhos vizinhos.

Tradição e devoção à parte, porque todas as terras têm as suas e o seus valores não se medem pelo aparato profano  ou mesmo pelo número de andores e de cavalos na procissão, mas sem dúvida que é uma das grandes romarias da região, com povo em quantidade, velhos e novos, barulho, diversão, barracas de tudo e mais alguma coisa, barracas de churros e farturas com fartura, onde o Isaac é patriarca, rei e senhor, e mesmo um programa musical extravagante e diversificado, desde as tradicionais bandas de música até aos habituais artistas pimba.

Mas para além de tudo, esta festa por vezes tem algumas singularidades que aparentemente escapam a algum sentido de bom senso. Por exemplo, remeter as bandas de música para palcos secundários, com carroceis e pistas de choque a marcar o ritmo, instalados em zona de sol e deixar vago o palco principal e com espaço envolvente com sombrinha fresca, não lembra ao diabo. Mas há quem ache que sim, e que o palco principal deve ficar livre para o pessoal da luz e som preparar a festa da noite. 

Claro que as bandas de música  não estão em condições de reclamar e o público já está habituado a estas singularidades. Como diz a cantiga, "quem gostar come, quem não gostar põe na beirinha do prato".

Já agora, duas excelentes bandas musicais, a do Vale e  a de Tarouquela. Bons executantes e peças musicais de qualidade sinfónica. Mereciam outros palcos, sem ruídos próprios de uma romaria, mas infelizmente a realidade não se compadece com preciosismos ou requisitos técnicos.